O que fazer com os resíduos da obra?

Ao término de uma construção, é certo que a quantidade da obra será grande, por mais cuidados que se tenha para evitar o desperdício de materiais. Tecnicamente, o nome dados a essas sobras é Resíduos Sólidos da Construção Civil (RSCC).

Pensando nisso, preparamos dicas sobre a correta destinação dos RSCC ao final de uma obra, respeitando o meio ambiente e destacando a importância de condutas sustentáveis. Confira.

Tipos de resíduos

De modo geral, são RSCC os seguintes materiais:

– Resíduos de construções, demolições, reformas e reparos de pavimentação quanto de infraestrutura, como, por exemplo, solos provenientes de terraplanagem;

– Resíduos de construção, de demolição, de reformas e de reparos de edificação, como os tijolos, blocos, telhas e placas de revestimento, além de argamassa e concreto;

– Resíduos de fabricação ou demolição de peças pré-moldadas em concreto, como blocos, tijolos, meios-fios, ou produzidas nos canteiros das obras.

Trituração e granulagem

Alguns dos RSCC podem passar por um processo de coleta, posterior processo de trituração e em seguida a granulagem. Após a granulagem, os resíduos são separados em areia, pedrisco, brita, bica corrida, além de outros que podem ser comercializados enquanto matéria prima secundária.

Outra alternativa viável para a reciclagem de RSCC é reciclar telhas de barro e cerâmica, para gerar agregados que, posteriormente, possam ser utilizados em pisos ou em elementos que necessitem de pigmentação avermelhada.

Tintas e solventes

Em relação às tintas e solventes, algumas medidas devem ser adotadas tanto para combater o desperdício, quanto para reciclar e evitar a contaminação:

– Calcule corretamente a quantidade necessária e adquira apenas o volume de tinta necessário para a realização da obra;

– Armazene corretamente a tinta e os instrumentos de pintura ao longo da realização do trabalho;

– Não guarde as sobras de tintas, faça doações ou use-as imediatamente em outros materiais, como tapumes;

– Limpe instrumentos de pintura apenas no final do trabalho;

– Não lave as latas de tinta para não gerar efluentes poluidores, termine o conteúdo em folhas de jornal ou restos de madeira, que podem ser descartados em lixo comum;

– Inutilize as embalagens de tintas e solventes no momento de descartá-las, evitando o uso para outras finalidades;

– Encaminhe latas com filme de tinta seca para a reciclagem;

– Guarde as sobras de solventes em recipientes bem fechados para usá-los em obras futuras ou os encaminhe para a incineração, ou ainda para empresas de recuperação.

Várias medidas simples e sustentáveis podem ser adotas para promover a destinação correta de RSCC nas obras e ainda garantir o bem-estar ambiental. Ficou com alguma dúvida em relação aos RSCC? Escreva pra gente.

 

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *